Os Melhores Investimentos Para 2020, Quais São ?
Os Melhores Investimentos Para 2020, Quais São ?
5 (100%) 1 vote

Vamos falar sobre os melhores investimentos para 2020. Como você já deve saber, a taxa selic caiu de novo e está em 4,5% ao ano e você deve estar se perguntando : Qual vai ser o melhor investimento para esse ano?

Esse é o menor patamar da história, aliás essa mínima histórica vem se renovando a cada reunião do Copom, e segundo o Ministro da Economia, Paulo Guedes, o brasileiro deve se acostumar com esse cenário de juros mais baixos.

Pegando os dados históricos da taxa Selic, observamos que sempre tivemos juros muito elevados em nosso país. Então esse novo panorama é uma novidade em nossa economia.

Em 2015 a taxa Selic estava em 14,25% a.a. É uma diferença enorme da atual. Embora, para nós é uma novidade, em economias mais desenvolvidas como EUA e países da União Européia, os juros são mais baixos do que os praticados no Brasil, que é considerada uma economia emergente.

No mesmo dia que teve a reunião do Copom, foi divulgada a taxa de juros pelo FED, Federal Reserve Board, o banco central americano e a taxa lá é 1,5 e 1,75% ao ano, praticamente 3 vezes menor que a nossa taxa Selic de 4,5%. Mas nos EUA, essa notícia não é recebida com alarmismo como vemos por aqui dizendo que não vale mais a pena investir e a renda fixa morreu.

O que vai acontecer é que os investidores terão que adequar suas estratégias a essa nova realidade de juros baixos.
Nada de ficar rico na renda fixa. Isso Acabou! Você vai ter que ganhar dinheiro na renda variável.

E para começar essa mudança , você deve ficar de olho no tripé formado pela: rentabilidade, segurança e liquidez.

Outra coisa que você deve aprender, é que o melhor investimento para você depende de muita coisa. Todos os investimentos devem ser feitos de acordo com seu perfil e objetivos. Isso é fundamental na hora de escolher
onde investir seu dinheiro em 2020.

Importante falar que a renda fixa continua existindo e continua importante para a carteira do investidor e vou explicar melhor.

Sua reserva de emergência, por exemplo, tem o objetivo de prover tranquilidade e segurança. É um dinheiro que deve estar livre de riscos e disponível quando precisar, ou seja, ele deve estar aplicado em um produto conservador e com liquidez diária.

Por isso que essa parcela do seu capital deve estar aplicada no tesouro selic que é o investimento de menor risco da nossa economia, ou no fundo tesouro selic simples do BTG ou em CDB de liquidez diária 100% do CDI.

Isso não muda nesse cenário de juros baixo e nem se a taxa Selic cair mais ainda, porque a reserva não é para alavancar capital e sim para segurança.

Em 2015, o tesouro Selic rendia mais de 1% ao mês e agora renderá menos de 4,5% a.a. E se descontar imposto de renda e inflação provavelmente não vai render nada. Porém o objetivo da reserva não é conseguir a melhor rentabilidade e sim a preservação do dinheiro, caso você precise utilizá-lo em um imprevisto.

Lembra do Tripé que eu falei? Então, no caso da reserva de emergência você não pode abrir mão da liquidez e da  segurança. Então terá que abrir mão da rentabilidade. Não dá para ter tudo em um só.

Agora vamos falar dos objetivos de médio prazo. Antes de falar mais sobre isso, você sabe quais são os seus objetivos de médio prazo? É importante ter clareza disso. Se é trocar de carro, fazer curso, se casar. Pode ser várias coisas, mas você precisa saber quais são. Com isso bem definido procure os melhores investimentos para esses objetivos.

Agora, se você não sabe nada disso, preparamos um outro artigo que irá te auxiliar melhor nisso. Clique Aqui e veja.

Para objetivo de médio prazo, podemos abrir mão da liquidez e mantendo a segurança, você encontrará na renda fixa produtos como CDB, LIC, LCA, CRI, CRA, debênture, com vencimentos mais longos, que por não oferecer liquidez diária, remuneram melhor.

Dependendo do prazo é possível encontrar produtos que paguem acima de 120% do CDI. Se você também abrir mão da segurança, ou seja de uma certeza de uma remuneração fixa, você pode partir para os fundos de investimento que para médio prazo, têm fundos multimercado de baixa volatilidade que é possível achar rendimentos na faixa de 140, 150% do CDI.

Ao analisar um fundo, lembre-se que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Em fundo multimercado não aplique com expectativa de resgatar no mês seguinte. Estamos falando de médio prazo. Então destine dinheiro que possa ficar no mínimo 2 anos aplicado.

Agora vamos para o longo prazo. Sabemos que a bolsa está subindo e muitas pessoas estão migrando para renda variável. Muita propaganda em cima disso. E eu poderia te dizer para colocar seu dinheiro na bolsa de valores e abrir uma conta em corretora fora do Brasil para diversificar seu patrimônio, mas eu não farei isso, porque investimento em renda variável como ações e FIIs não são adequados para qualquer investidor e como estamos no boom market, as ações só sobem, praticamente, e isso causa a falsa impressão de que é sempre assim e você sempre ganhará dinheiro.

Comparando o rendimento das ações com a renda fixa, parece até uma covardia, mas uma hora o mercado vira e as quedas acontecem. A economia é cíclica. Investimentos em ações e FIIs são ótimas opções, mas são adequados para quem tem um perfil de moderado-arrojado, pois investidores mais conservadores podem não se sentir confortáveis quando verem rentabilidade negativa na carteira.

Além de perfil de investidor, o foco aqui deve ser no longo prazo a não ser para quem quer viver de day trade, mas isso é outra história. Para a maioria, o horizonte de investimento de ativos de renda variável deve ser no longo prazo
porque as variações de curto prazo tendem a ser diluídas e mesmo que alguns meses você tenha rendimentos negativos os ganhos tendem a superar essas perdas no longo prazo.

Caso seu perfil se adeque a renda variável e tenha capital de longo prazo, você deve considerar investir nesses ativos porque é nessa parcela da carteira que você tem a possibilidade de obter maiores retornos. Mais risco, mais retorno.

Caso não entenda nada e queira investir em ações existem boas opções iniciais. Os fundos de investimento em ações e ETFs que são fundos que replicam índices, como o índice Bovespa. Assim você não tem trabalho de escolher as ações, o que pode parecer complicado no começo. Então você simplesmente, pode delegar a gestão, ao profissional que vai tentar superar o índice com gestão ativa ou acompanhar o desempenho do índice que é o caso dos ETFs.

Se você se interessa pelos FIIs você pode começar pelo FOF, fundos de fundos. É um fundo que investe em cotas de outros fundos imobiliários. Em vez de ter preocupação de escolher FIIs e precisar ter um volume maior de capital comprando cotas de FOF, você investe em vários fundos ao mesmo tempo. Ou seja, você investe de forma diversificada em um único produto.

Espero que esse nosso artigo, tenha clareado sua mente para esse mundo dos investimentos 😉

Facebook Comments

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of